Cuidados que você deve ter com a ração do cachorro

Publicado em 07 de outubro de 2014 por Mundo Animal


Tagged , , ,
Foto Reprodução | Texto Ana Carolina Gabriel

Além da escolha de um produto de alta qualidade, alguns cuidados são muito importantes quando o assunto é alimentação dos pets. Para que se garanta o melhor aproveitamento dos alimentos, mantendo os benefícios nutricionais, é fundamental que ele seja oferecido na dose certa, de acordo com as necessidades de cada cão, e ainda que o produto seja corretamente armazenado em casa. Por isso, veja as dicas da PremieR pet de cuidados com aração de cachorro:

1 – Quantidade ideal de ração – as orientações de consumo variam de produto para produto e, por isso, precisam sempre constar nas embalagens. A indicação do fabricante deve incluir a quantidade diária de alimento e ter por base o peso dos pets.

2 – Como evitar obesidade em cães – Não confunda recomendação diária com a dose por refeição! Algumas pessoas, ao invés de seguir a quantidade diária indicada e dividi-la entre as refeições, oferecem a quantia a cada refeição. Isso causa uma oferta dobrada, o que pode prejudicar a saúde dos bichos de estimação e levá-los à obesidade.

3 – Embalagem da ração – É sempre bom lembrar que a embalagem não serve apenas para estética e comunicação. Sua principal função é proteger, orientar e garantir um produto seguro ao consumidor final. As estruturas utilizadas em sua fabricação permitem a barreira a luz, gases, gordura e umidade. Por isso, na hora da compra, é importante observar se a embalagem é resistente e se está intacta, sem furos ou avarias.

4- Não compre a granel – produtos a granel ficam expostos à presença de insetos, roedores e contaminações, além de terem suas gorduras e algumas vitaminas oxidadas. Por isso, eles jamais terão a mesma vida de prateleira de um produto dentro da embalagem original e representam uma ameaça à saúde do animal.

5- Como guardar ração – Não armazene o pacote diretamente no chão ou encostado em paredes, pois essa atitude pode acarretar ao produto ganho de umidade e desenvolvimento microbiano, além de aumentar o risco de ele ser atacado por insetos.

Escolha também um local arejado e fresco para guardar o alimento, pois o controle da umidade e a proteção contra altas temperaturas é fundamental para evitar a formação de microorganismos e o desenvolvimento de fungos, bolores e leveduras. Não são raras as ocorrências de descuidos e este é um ponto que merece muita atenção em casa.

6- Sobras de alimentos – Não deixe a sobra de alimento no pratinho do pet, pois esse “restinho” que teve contato com a saliva do pet e ficou exposto ao ambiente pode contaminar o próximo alimento. Também é importante lavar e enxugar a vasilha antes de reabastecer.


Posts Relacionados: