Dieta especial para cachorro idoso

Publicado em 31 de agosto de 2017 por Mundo Animal


Tagged , , ,

A expectativa de vida dos cães aumentou nos últimos anos. Com isso, há uma maior preocupação dos donos em oferecer qualidade de vida e bem-estar aos seus pets. Entre os fatores que influenciam a longevidade do peludo estão: porte, genética e cuidados preventivos ao longo da vida (como alimentação adequada, vacinação regular controle de ectoparasitas e visitas regulares ao médico veterinário). Nessa nova etapa da vida do cão, a alimentação correta e equilibrada é um dos principais aliados para garantir sua saúde e deve ser levada a sério.  As necessidades nutricionais se alteram em razão do processo natural de envelhecimento do organismo e, portanto, precisam ser reajustadas.

ETAPAS DO ENVELHECIMENTO

Ao atingir a maturidade, o cachorro naturalmente passa por mudanças externas e internas que trazem impactos para sua vida e a de toda a família que convive com ele. Assim como em qualquer ser vivo, o envelhecimento dos pets não é uma doença, mas uma evolução natural. É um processo progressivo e silencioso, e o seu bem-estar irá depender de fatores como estilo de vida, cuidados e eventualidades que possam ocorrer. Para favorecer a transição do período adulto para o idoso, os médicos veterinários costumam dividir esse momento em duas etapas, por exigirem cuidados diferentes, especialmente no que diz respeito à alimentação. A primeira etapa do envelhecimento tem início quando o cão atinge 50% de sua expectativa de vida. Já a segunda começa quando o mascote entra no último terço desse período estimado (para saber ao certo quando o seu peludo vai entrar em cada uma dessas fases veja em Com quantos anos o cachorro é considerado idoso, que indica porte e expectativa de vida dos cães). O ideal é ajustar a alimentação dos cães nesses dois momentos de sua vida, pois as necessidades nutricionais se alteram devido ao processo natural de envelhecimento do organismo. A alimentação específica para a idade irá ajudar a retardar o início dos sinais de envelhecimento na primeira etapa e, na segunda, limitar o desenvolvimento desses sinais.

Uma dieta adequada para a maturidade do cachorro colabora retardando os principais sinais do envelhecimento, o balanço nutricional específico para a fase tem muitas finalidades, como manter o apetite, o peso corporal e a massa muscular, apoiar as defesas naturais do pet, evitar sobrecarga nos rins e intestino, além de manter a saúde oral e equilíbrio de nutrientes como vitaminas, minerais e antioxidantes.

PERÍODO DE MUDANÇAS

Um importante aspecto da fase de envelhecimento é que os idosos têm tendência maior a ficarem obesos por diminuição da atividade física e do metabolismo, que se torna mais “lento”, podendo levar ao acúmulo de gordura. Nesse sentido, o manejo da dieta deve priorizar a diminuição de calorias ingeridas. alimentação, a fórmula ideal para a maioria dos animais idosos é a redução de gorduras, a inserção de proteínas de alto valor biológico (aquelas que contêm os aminoácidos essenciais em quantidades e proporções elevadas para atender às necessidades orgânicas, contidas em ovos, carne, peixe e aves), o aumento da quantidade de fibra e a redução de sódio. Isso porque os cães mais velhos apresentam uma perda das reservas de proteínas, que visualmente se manifesta pela diminuição da massa corpórea e pela atrofia muscular mais evidente.

NUTRIENTES DA VELHICE 

As proteínas de alto valor biológico favorecem a manutenção das atividades normais e minimizam a perda de massa muscular. Em relação às gorduras acumuladas, são resultado em parte do aumento da incapacidade do organismo em metabolizá-las. Assim, os níveis de gordura na alimentação devem diminuir. O importante é consultar o médico veterinário para a indicação da dieta apropriada a cada cão. Os ossos e as articulações dos cães também são bastante afetados com o tempo, em especial em animais de raças grandes e gigantes. Portanto, a manutenção do peso adequado e da massa muscular são fundamentais para redução das cargas, evitando problemas articulares.

RAÇÕES ESPECIAIS

Entre as principais diferenças das rações para cachorros idosos está a palatabilidade e a consistência dos grãos, que passam a ser mais macios para facilitar a mastigação. A composição nutricional também se altera, com a adição de nutrientes indicados para auxiliar no envelhecimento saudável dos cães. Exemplo disso são os alimentos que possuem propriedades antioxidantes, como a combinação das vitaminas C e E, que auxiliam na proteção das membranas celulares, combatem os radicais livres e melhoram as defesas imunológicas.

Outros favorecem a beleza da pelagem. O enriquecimento da alimentação com vitaminas (complexo B, E, A), ômega 6, minerais (zinco, ferro e iodo), óleo de peixe e aminoácidos é uma forma eficiente de retardar o aparecimento de pelos brancos, perda do brilho e maciez, manchas na pele e maior sensibilidade. As dietas geriátricas devem ter também uma redução de 15% a 20% no nível de fósforo e um ligeiro aumento no teor de cálcio, sem alteração da relação entre eles. Recomenda-se ainda a adição de alimentos funcionais, como fibras solúveis, e o uso de protetores de cartilagem. No entanto, todas as mudanças de dieta devem ser feitas de forma gradativa. Inicia-se adicionando 25% da nova na antiga e a cada um ou dois dias aumenta-se em 25% a nova dieta, reduzindo a ração antiga na mesma proporção.


Posts Relacionados: