Leishmaniose canina: Quais são os sintomas e como prevenir?

Publicado em 07 de janeiro de 2019 por Mundo Animal


Tagged , , , , , ,

O que é leishmaniose canina?

A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma doença causada por um parasita chamado Leishmania, este se prolifera através do mosquito flebótomo que, ao picar o animal, transmite o parasita que ataca seu sistema imunológico.
A doença não é contagiosa, ou seja, um cão doente não transmite a doença a um cão sadio, a transmissão somente é feita através da fêmea do mosquito popularmente conhecido como mosquito-palha.

Existem dois tipos de leishmaniose, a cutânea e a visceral.

Leishmaniose Cutanea: Ataca a pele causando feridas, no inicio elas são indolores, pequenas com bordas avermelhadas e ao longo do tempo crescem e demoram a cicatrizar.

São encontradas frequentemente nas áreas descobertas do corpo, as feridas também poderão ao longo do tempo surgir nas mucosas do nariz, da boca e da garganta.

Leishmaniose Visceral: Ataca os órgãos internos como  fígado, baço e medula óssea, este tipo é mais comum em crianças de até dez anos de idade.

Sintomas da leishmaniose canina

A leishmaniose é uma doença que pode demorar entre os 3 e os 18 meses para começar a apresentar os sintomas, ou seja, é possível que o cachorro esteja infetado e não esteja manifestando nenhum sintoma.

Após o término do período em que a doença esteve encubada, o animal manifesta os seguintes sintomas:

– Perda de peso, mesmo sem perder o apetite;

– Perda de apetite;

– Perda de pelos e/ou pelos quebradiços;

– Feridas na pele;

– Fraqueza;

– Descamação seca da pele;

– Gânglios inchados;

– Crescimento do fígado e do baço;

– Úlceras;

– Febre;

– Atrofia muscular;

– Vômito;

– Diarreia;

– Lesões oculares e sangramentos;

– Anemia e outras doenças imunes;

– Insuficiência renal.

Como prevenir a leishmaniose canina 

A prevenção é feita através de vacina que deve ser iniciada em cães a partir dos 4 meses de idade, saudáveis e previamente testados para a doença. O teste é realizado através de exame de sangue.

O protocolo de vacinação completo é de três doses, com intervalos de 21 dias entre cada aplicação.

Após a aplicação da ultima dose da vacina, seu cão ainda irá precisar de mais 21 dias para estar protegido, portanto, alguns cuidados deverão ser tomados, como por exemplo:

Coloque repelente no seu cão, o mais indicado são as coleiras que inibe a aproximação do mosquito;
Após as 18 horas, mantenha o animal dentro de casa;

O uso de telas nas janelas também é indicado;

Mantenha o ambiente limpo, recolhendo folhas e frutas, fezes de animais e cuide para que o lixo esteja sempre muito bem vedado. A fêmea do mosquito deposita os ovos em matéria orgânica e lixo.

Um ano após a aplicação da primeira dose da vacina, deverá ser feita a revacinação, bastará apenas uma dose anualmente.

 


Posts Relacionados: